Carta a um companheiro

Queria pessoalmente dedicar esta carta a um companheiro, ao meu.

Dediquem as vossas a quem quiserem, esta é para ele. O companheiro aquele que te acompanha sempre com o seu objectivo na mira. A pessoa feliz que se abre inteiramente e ainda te surpreende. Aquela que acredita, que confia e que escuta. Um companheiro é um amigo, um amante e um amor para sempre.

Porque com ele podemos realizar, idealizar e acreditar em novos sonhos. Transformar e dar-se novas forças para se renovar. É também estar próximo, sem ser intrusivo. Estar à certa distância para quando é necessário. Chegar perto para aconchegar e dar um abraço para reconfortar. Um companheiro é aquele em quem se acredita num mundo melhor. O meu companheiro é ele. A quem aprendi a desvendar cada medo e insegurança. A quem nunca escondi os sorrisos, nem as gargalhadas. Ele que soube ter a paciência e a sabedoria de esperar, mesmo quando eu não sabia se queria voltar.

Ele acreditou sempre, mesmo quando eu duvidei, que somos melhores quando estamos juntos. Porque quando algo nos afasta, mesmo quando estamos próximos, somos dois mundos fechados. E durante estes três anos crescemos juntos, aprendemos a viver juntos e a viver um com o outro. Quando isso implica mesmo as nossas interrogações, sobre como vivemos dentro de quatro paredes.

É aprender a respeitar diferentes ritmos, ainda que se sincronizando em acordos. Ganhei em confiança, mas também aprendi na dureza dos erros, nas decepções e na franqueza de aceitar quem sou e quais são os meus limites. Um companheiro é esse também que nos eleva a um outro estado de ser maior, sendo quem somos, sendo melhores.

Ele sempre me incentivou para procurar o meu caminho, aberto às minhas ideias e sempre pronto para me ouvir, mesmo quando a incerteza me eleva a um outro estado. Para uma pessoa como eu, é uma subtilidade que simplesmente faz a diferença. Porque na minha incerteza não posso aceitar ficar enclausurada numa ideia, ou na ideia que alguém poderia ter para mim.

Ele é maior. E mesmo quando me deixo levar pela tristeza, sei que no final vamos falar, olhar para os argumentos de cada um. Ouvir aquilo que nos afecta e passar a um novo momento. Foi uma das maiores etapas que conseguimos avançar. Ouvir um ao outro que apesar de não ser intencional, podemos magoar-nos. Por ignorância, por egoísmo e por vezes por amor. Porque temos formas diferentes de pensar, mesmo se muitas vezes acabamos por agira da mesma forma.

Os silêncios que nos esmagam escondem um problema que queremos afastar do outro. Queremos sempre proteger-nos e apenas borbulhar nos momentos de alegria. Somos companheiros, amantes e amigos.

Prawny_1_1

Imagem Editada ©Prawny
Anúncios

Deixa o teu comentário !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s