Vi(r)agem

Como começou esta viagem? Já tinha falado num post anterior que a ideia inicial era de fazer um serviço de voluntariado europeu durante doze meses. Uma ideia que se concretizou em menos tempo, mas que vale bastante a pena de ser partilhada.

O serviço de voluntariado europeu é um programa financiado pela União Europeia, vários organismos estão envolvidos na implementação deste projecto que já conta vários anos no seu curriculum. Disponível para todos os jovens entre 17 e 30 ans, com um projecto definido entre 2 semanas e dois meses para os projectos de curta duração e de dois meses a 12 meses para os projectos de longa duração. Todos os que moram no território europeu – incluindo os países que não fazem parte da UE, podem propôr uma ideia para um outro país que não seja o de residência/nacionalidade ou candidatar-se a um dos inúmeros projectos disponíveis, apresentados pelas associações ou outras entidades locais/envio. Local e envio é uma linguagem típica do SVE porque todos os participantes têm uma entidade de contacto no país de envio, isto é, o país de origem e uma outra no país de acolhimento, onde se passa a experiência.

No meu caso foi uma experiência justa e rápida. Quando decidi sair de Portugal em 2012 estava no final dum estágio, sem perspectivas efectivas de um contrato de trabalho e com muita vontade de mudar. Mudar, mudar, mudar. Sempre a história de mudar, sem sempre saber para o quê. Quando tinha dezoito anos (os bons dez anos passados) já tinha tentado uma primeira carta de motivação. Mas na altura não tinha dado nenhuma atenção às entidades envio/acolhimento, resultado, não tive resposta. Porém na segunda tentativa no espaço de algumas semanas ficou tudo «acordado». Existe um site onde podem ler todas as informações práticas e aceder à base de projectos em curso, aqui e para a associação de envio aqui.

O projecto no qual estive integrada passava-se numa associação para jovens trabalhadores, numa cidade do Champagne. É um tipo de associação específico aqui em França, onde existem apartamentos disponíveis e/ou quartos para jovens que começam a trabalhar e ainda não são autónomos financeiramente para assegurar um apartamento ao preço do mercado. Enfim, esta é a definição oficial. Oficiosamente é uma estrutura de acompanhamento para jovens, com regras específicas. Não é como «lá em casa». E eu estava encarregue de vários ateliers de línguas, cultura, cozinha… Entretanto a conversa não terminou nos doze meses, por desentendimentos entre a direcção e eu. Mas em geral só posso aconselhar esta experiência!

©viktor hanacek
©viktor hanacek
Imagem Editada ©viktor hanacek
Anúncios

Um comentário em “Vi(r)agem

Deixa o teu comentário !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s